Artigos

Além de milhares de demissões, corrupção do PT ameaça investimentos de R$424 bi no Brasil

Além de milhares de demissões, corrupção do PT ameaça investimentos de R$424 bi no Brasil

Muitos brasileiros não fazem ideia de que os desvios na Petrobras não causaram apenas prejuízos aos cofres públicos. O espectro devastador da corrupção do PT é muito mais abrangente e alcança milhões de famílias em todo o país, compostas em sua maioria por eleitores de Dilma. Além das cerca de 600 mil pessoas que perderam o emprego em empresas terceirizadas e demais prestadores de serviços, outros 600 mil empregos deixaram de ser gerados com o cancelamento de projetos da estatal.

Para completar o quadro de desolação, a Federação das Indústrias do Rio (Firjan) fez um levantamento sobre os desdobramentos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, e concluiu que as manobras ilícitas patrocinadas pelo PT podem ameaçar investimentos de 424 bilhões de reais no Brasil, dos quais 25 por cento estão programados para o Estado do Rio de Janeiro. O estudo foi publicado nesta sexta-feira pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Do montante total, 242,8 bilhões de reais de investimentos estão previstos para serem aportados em 109 obras de infraestrutura, e os 181 bilhões de reais restantes em projetos de pesquisa e desenvolvimento.

O valor estimado considera investimentos totais em obras e projetos a serem concluídos em até cinco anos, com alguns deles já em desenvolvimento, afirmou à Reuters a chefe da Divisão de Competitividade Industrial do Sistema Firjan, Júlia Nicolau.

Apesar de ponderar que o país tem agora “a oportunidade de pôr fim a um dos maiores esquemas de corrupção e punir seus culpados”, a Firjan mostrou preocupação de que “os efeitos das investigações sobre as empresas envolvidas podem vir a paralisar os investimentos em curso no país”.

De acordo com o estudo, as investigações resultaram na suspensão formal de contratação pela Petrobras de 25 empresas no Brasil, das quais 13 construtoras envolvidas nas mais importantes obras de infraestrutura do país e em grandes empreendimentos no setor de pesquisa e desenvolvimento.

As obras de infraestrutura com execução ameaçada, afirmou a Firjan, estão majoritariamente concentradas nos setores de transporte e logística e energia elétrica, que respondem por 57 por cento e 29 por cento do total, respectivamente.

“Todos os investimentos na construção das instalações olímpicas, para os quais não há possibilidade de adiamento, podem estar comprometidos”, afirmou o estudo da Firjan.

A situação no sul, norte e nordeste não é muito diferente. O cancelamento de projetos e a paralisação de importantes obras impactam não apenas os trabalhadores diretamente envolvidos. Prestadores de serviços e outras empresas tiveram que fechar as portas diante da falta de perspectivas. São investimentos pequenos que nem sempre entram nas contas dos órgãos que acompanham os desdobramentos da crise. No entanto, estes pequenos investimentos somados são significativos não apenas no que se refere ao montante, mas também ao número de postos de trabalho que deixam de ser gerados.

@muylaerte, complementando Marta Nogueira, Reuters

Artigos

More in Artigos

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato