Artigos

Golpe contra o povo – Acordão para salvar Dilma pode fracassar. Só depende de você!

Golpe contra o povo – Acordão para salvar Dilma pode fracassar. Só depende de você!

Setores da  Imprensa, congresso e justiça se unem para impedir o fortalecimento da democracia no Brasil.

Após um período de aparente indignação diante da maior crise de corrupção da história recente do país, grupos organizados assumem não ter interesse em mudanças e jogam fora a oportunidade de promover uma verdadeira revolução política brasileira.

Ao que tudo indica, as elites dominantes chegaram à conclusão de que não seria vantajoso romper com a cultura de corrupção, que lhes permitiu o acúmulo de verdadeiras fortunas ao longo de décadas.

Neste momento, ou em qualquer outro, não lhes parece interessante moralizar o país e acabar definitivamente com as práticas e métodos que sangram os cofres públicos em favor de grupos poderosos. O corporativismo prevaleceu.

Os sinais são claros. Neste momento, a base aliada faz as pazes com Dilma em troca de proteção nas investigações. Simultaneamente, a imprensa ameniza as críticas ao governo ao mesmo tempo em que tenta realçar aspectos “positivos” de Dilma em troca de mais verbas publicitárias. A trégua não é apenas uma coincidência.

O golpe de misericórdia nos anseios da população veio de um acordo do STF com o governo, que acaba de indicar Dias Toffoli, um aliado do PT e de Dilma, para julgar a maioria dos processos da Operação Lava Jato. O objetivo é proteger as empresas e políticos envolvidos nos desvios da Petrobras.

A primeira opção para liderar o processo seria do ministro mais antigo, Marco Aurélio Mello, que estranhamente recusou o “convite” de presidir a segunda turma, a quem caberá organizar a pauta e decidir quando as ações serão julgadas.

Para selar o acordão, Dias Toffoli se reuniu com a presidente Dilma, com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante. Após este encontro, tudo mudou no Brasil.

Estes movimentos óbvios, orquestrados pelas elites que dominam o país em conluio com o governo e o congresso, visa arrefecer os ânimos da população indignada. O objetivo é esvaziar as manifestações contra Dilma e a corrupção no PT, programadas para o dia 15 de março.

Agora está nas mãos do povo decidir o futuro do país. Quanto mais pessoas se mobilizarem e participarem das manifestações, maiores serão as chances de mudanças. Aqueles que ficarem em casa, estarão automaticamente concordando com os corruptos que querem continuar mandando no Brasil.

@muylaerte

Artigos

More in Artigos

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato