Artigos

Dilma colhe o que plantou. O estelionato eleitoral foi contra todos, inclusive seus eleitores.

Dilma colhe o que plantou. O estelionato eleitoral foi contra todos, inclusive seus eleitores.

Tudo na vida tem um custo. Esta é uma máxima com a qual todo indivíduo adulto está familiarizado. Quando uma pessoa resolve correr um risco, ela deve estar ciente de que pode haver consequências.

Dilma não aceitou corrrer apenas um, mas vários riscos. A situação que enfrenta agora representa nada mais que a soma de tanta inconsequência.

Ao concordar em fazer uma campanha baseada no vale tudo, na mentira e no marketing agressivo do publicitário João Santana, Dilma tinha plena consciência dos riscos que correria.

Com base em uma relação custo/benefício, se Dilma, de livre e espontânea vontade, aceitou correr tantos riscos ao aplicar o maior estelionato eleitoral da história, era por que o risco de perder a eleição era maior. Talvez algo muito mais grave poderia ser descoberto, caso outro candidato vencesse em seu lugar.

Se temia que fatos graves referentes ao período em que Lula e ela governaram o país, é por que teve participação e conhecimento deste fatos.

Se permitiu, participou ou se omitiu deste fatos, novamente tinha consciência dos riscos inerentes às irregularidades praticadas.

O fato é que Dilma está à frente da Petrobras desde 2003. Foi presidente do Concelho da Estatal durante oito anos. Foi Ministra das Minas e Energia, ministério ao qual a Petrobras está subordinada. Nomeou, indicou ou concordou com a indicação de todos os diretores envolvidos nos deviso bilionários que colocam a empresa e o país em apuros nos dias de hoje.

Diante dos fatos, torna-se difícil supor que Dilma possa ser inocente. Ainda mais considerando-se a importância estratégica que tem tido no governo ao longo dos últimos onze anos.  Dilma pode ser tranquilamente comparada à Carminha, personagem vivido por Adriana Esteves na novela Avenida Brasil. Tanto fez que acabou pagando por seus erros.

Quem planta vento, colhe tempestade. De mesmo modo, depois da tempestade, vem a bonança. Dilma pode até se safar de todas as suspeitas que pairam sobre ela no momento. Mas dificilmente se verá livre das marcas que esta tempestade deixará em sua história.

@muylaerte

Artigos

More in Artigos

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato