Tecnologia

Pré-Sal já nasceu morto. Vem ai o iCar, o carro elétrico da Apple

Pré-Sal já nasceu morto. Vem ai o iCar, o carro elétrico da Apple

Pelo visto, Lula e Dilma estavam mesmo fazendo os brasileiros de trouxas ao explorar as maravilhas do Pré-sal como peça de campanha. Por excelência, a exploração de petróleo é uma atividade de risco e enfrenta ciclos de crise no mundo todo há quase cem anos. Não adianta dizer que é possível extrair centenas de produtos derivados do petróleo, quando na realidade, 90% de seu valor está atrelado à gasolina.

Mesmo que não houvesse a roubalheira que houve nos investimentos da Petrobras, o volume de dinheiro empatado nesta “empreitada” já representaria uma baita temeridade. Fruto da má fé, ambição amadora e gananciosa do PT, os gastos feitos até aqui superam os limites da irresponsabilidade.

 

Pelo visto, a crise que anuncia no setor petrolífero pode ser bem mais dramática que todas as crises anteriores somadas. É claro que o governo tinha conhecimento dos avanços da indústria automobilística na questão dos carros elétricos. A Tesla já havia ditado esta tendência ao apresentar o modelo “S”;

Agora, com os boatos de que a empresa norte-americana Apple estaria criando um carro elétrico próprio, chamado pela imprensa de “iCar”, aumentaram após uma reportagem afirmar que o veículo deve começar a ser produzido em breve, justamente durante o período que seria o “auge” do Pré-sal.

Segundo a agência de notícias Bloomberg, a companhia já conta com um time de 200 especialistas em todos os tipos de peças e sistemas de automóveis e o número tende a crescer rapidamente nos próximos meses.

Alguns dos novos funcionários acabaram de se demitir da empresa Tesla, uma das maiores produtoras de carros elétricos do mundo, para participar da equipe da “Maçã”. O próprio CEO da companhia, Elon Musk, admitiu que a Apple está atraindo seus engenheiros com altos salários e bônus.

A marca de Tim Cook também mostrou que está procurando especialistas em baterias de carros, em particular da empresa A123 Systems, que está processando a Apple por “poaching” (caça furtiva de talentos).

Com a ação judicial nas costas, a Apple quer superar o tempo médio de desenvolvimento de um carro, que é de 5 a 7 anos, e ter sucesso com sua empreitada no meio automobilístico.

Sua concorrência com marcas como Tesla e General Motors – que anunciou o lançamento de um veículo elétrico para 2017 com valor menor de US$ 40 mil – será grande, mas a empresa tem chances de se impor, como fez com os leitores de mp3 (iPod) e com os smartphones (iPhone).

Ao se deparar com o carro da Tesla, a sensação que se tem é a de que todos os demais carros tem como destino certo o ferro velho. Agora, diante da confirmação do projeto da Apple, a certeza que se tem é a de que o Pré-sal já nasceu morto.

@muylaerte

Tecnologia

More in Tecnologia

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato