Giro Notícias

Wellington quer mobilização dos Estados pelos royalties

Wellington quer mobilização dos Estados pelos royalties

Senador esteve reunido com prefeitos na APPM

O senador Wellington Dias (PT) conclamou os prefeitos, parlamentares e governadores dos 24 Estados para que fizessem uma mobilização nacional em defesa da sanção ao projeto de redistribuição dos recursos provenientes dos royalties do pré-sal. Nessa segunda-feira, o Rio de Janeiro fez uma mobilização pedindo o veto à matéria. Para o senador piauiense, uma mobilização semelhante deve ser feita pelos outros Estados.

O petista criticou o fato de nenhum governador dos demais Estados ter puxado a mobilização. “Não podemos deixar que um Estado como o Rio de Janeiro aparente ter mais força do que o resto do país. Não tem sentido 24 Estados perderem espaço na mídia para um Estado, apesar da mídia nacional está concentrada no eixo Rio/São Paulo”, opinou, acrescentando que a posição que passa é de que os demais estados estão “inertes e anestesiados”. Ele defende que haja uma mobilização conjunta em todas as capitais até quinta-feira.

Dias voltou a falar que acredita na sanção presidencial. “Será uma surpresa se a presidente não sancionar. Foi um projeto muito discutido, que venceu por cinco vezes no Congresso”, lembrou, avaliando ainda que está em jogo também problemas políticos para a presidente. “Ela terá um problema político se vetar, até porque a maioria da bancada votou a favor e a maioria irá derrubar o veto dela”, garantiu.

O senador piauiense aproveitou para criticar a postura do Rio de Janeiro, a quem acusou de estar utilizando “informações iverídicas” acerca do projeto aprovado. Segundo ele, a mobilização do Rio é descabida já que o Estado não terá perdas significativas na parte que lhes cabe dos royalties. Para realizar a mobilização, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, decretou ponto facultativo no Estado e concedeu gratuidade no transporte de pessoas para participar da manifestação. “Lamentalvemente há uso de dinheiro público para essas manifestações”, pontou.

Ainda assim, Wellington Dias adiantou que, durante toda essa semana, fará um movimento pela coleta de assinaturas para que, em caso de veto, a matéria seja colocada para apreciação no Congresso Nacional ainda na próxima semana. A presidente Dilma Rousseff (PT) tem até sexta-feira para decidir se sancionará ou vetará o projeto. “Se houver o veto, protocolaremos um pedido de urgência para o veto ser colocado em pauta na próxima semana e derrubarmos logo o veto da presidente”, defendeu.

Giro de Notícias Domínio do Fato

Giro Notícias

More in Giro Notícias

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato