Negócios

Tempo seco e quente prejudica a produção de mel de PE

Tempo seco e quente prejudica a produção de mel de PE

De acordo com o Instituto Agronômico do Estado, de janeiro até outubro choveu apenas 300 milímetros na região de Tabira, metade do volume registrado no mesmo período de 2011.

Sem chuva, as plantas não floresceram e está faltando pólen, néctar e água para as abelhas produzirem mel.

José Antônio costuma produzir anualmente três mil litros de mel, mas por conta da seca deste ano, ele teve uma perda de 50%. Para que o prejuízo não seja ainda maior, ele agora está alimentando as abelhas de maneira artificial e dentro dos apiários, tudo para que elas não busquem comida em outros locais.

A prática consiste em colocar reservas de água e mel dentro das caixas das abelhas. Desta forma, elas não produzem, mas também não deixam os apiários.

Segundo a Cooperativa de Desenvolvimento da Apicultura do Nordeste Brasileiro, a Coodapis, a perda na produção de mel na região Nordeste chega a 80%. Por isso, os apicultores vêm desenvolvendo em Tabira, há um ano, um trabalho para que a produção não seja tão afetada na época da estiagem.

Uma das soluções encontradas pela cooperativa de apicultores foi confinar a abelha rainha, manejo que evita que as abelhas abandonem as colmeias em busca de um novo local onde haja alimento.

É uma maneira de manter o enxame, já que a abelha rainha, por ser maior que as outras, não consegue sair da caixa pelos pequenos buracos. De acordo com o pesquisador Adelmo Cabral, a abelha rainha só pode ser solta quando houver água e flores ao mesmo tempo.

Mais Economina & Negócies em Domínio do Fato

Negócios

More in Negócios

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato