Brasil

Leptospirose atinge rebanhos e deixa prejuízos no Triângulo Mineiro

Leptospirose atinge rebanhos e deixa prejuízos no Triângulo Mineiro

Pecuarista de Veríssimo perdeu mais de 80 cabeças de gado (Foto: Foto: Reprodução/TV Integração)Pecuarista de Veríssimo perdeu mais de 80
cabeças de gado (Foto: Reprodução/TV Integração)

Produtores rurais algumas cidades do Triângulo Mineiro registraram casos de leptospirose no rebanho bovino, nos últimos meses. Centenas de animais já morreram e a recomendação do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) é que os pecuaristas vacinem os rebanhos. No entanto, por enquanto, o instituto descarta a possibilidade de epidemia.

O produtor rural Mário Adolpho Júnior, dono de uma propriedade na cidade de Veríssimo, lamentou o prejuízo. Nesta semana, ele perdeu 81 cabeças de gado por causa da leptospirose. O diagnóstico foi confirmado por três laboratórios e os animais foram queimados para evitar ainda mais problemas. “Comprei 22 vacas, a produção diária estava na média de três mil litros. Porém, apareceu uma novilha morta. Três dias depois, cerca de 25 vacas estavam deitadas pela manhã, quase todas doentes. Já estou há uns três meses pelejando e o gado não para de morrer”, lamentou o produtor.

Todo o rebanho foi vacinado com uma mesma agulha, o que pode ter contribuído para o surto na propriedade, já que todos os animais sentiram os mesmos efeitos. O produtor contou que 20 vacas ainda estão em estado grave, além de mais de 100 abortos terem sido registrados.

Na propriedade de Mário, a produção de leite também caiu. Passou de três mil litros diários para 300 litros. O produtor calculou um prejuízo de mais de R$ 800 mil. “Eu não tenho coragem de vender o restante do gado para ninguém. Vão morrer todos aqui. Não posso colocar mais gado no local. Terei que arrendar a propriedade para cana-de-açúcar, soja, eucalipto ou qualquer outra coisa. Tive que acertar com todos os funcionários, mandá-los embora e encerrar a produção de leite”, contou o produtor rural.

Porém, o caso do produtor de Veríssimo não foi o único. No Hospital Veterinário de Uberaba, referência para o Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e interior de São Paulo, casos em outras três cidades foram registrados nos últimos dois meses.

A doença também foi confirmada em rebanhos de Conceição das Alagoas, Campo Florido e Prata, todas são cidades do Triângulo mineiro. O veterinário Cláudio Henrique Barbosa demonstrou preocupação. “Preocupa pela questão da queda na produção, pois o animal fica doente, sensibilizado e a produção de leite cai. E há o risco da disseminação dentro do próprio rebanho, que é o maior agravante da doença, além de que, pode provocar a morte. Porém, há um fator que originou a queda de imunidade e permitiu que a bactéria fizesse a festa”, explicou.

O veterinário disse que o gado pode ficar meses sem apresentar sinais da doença e entre os principais sintomas estão o amarelão e a urina avermelhada. “Apesar de não ser uma doença de vacinação obrigatória é de consciência vacinar esses animais periodicamente. Além disso, o proprietário deve ter o cuidado de sempre ter um acompanhamento técnico de um médico veterinário para auxiliá-lo no diagnóstico”, esclareceu.

Como a vacina não é obrigatória em Minas Gerais, a chefe do escritório regional do IMA, em Uberaba, Deise Macedo, falou que nada pode ser feito quanto a comercialização de animais contaminados. “Nós acompanhamos o trânsito deles, para onde esses animais foram, de onde vieram e estamos visitando as propriedades que têm esse vínculo para recomendar a vacinação. Mas, as vacinações oficiais e exigidas são a brucelose e a aftosa”, afirmou.

Além de o IMA ter descartado a possibilidade de epidemia, o veterinário Cláudio Henrique Barbosa garantiu que a carne do animal sem lesões aparentes não faz mal a saúde do homem, já que, segundo ele, a bactéria morre quando entra em contato com altas temperaturas.

Para ler mais notícias do G1 Triângulo Mineiro, clique em g1.globo.com/triangulo. Siga também o G1 Triângulo Mineiro no Twitter e por RSS.

Domínio do Fato – Mais Notícias do Brasil

Brasil

More in Brasil

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato