Negócios

Bovespa fecha em queda pelo segundo dia consecutivo

Bovespa fecha em queda pelo segundo dia consecutivo

Após operar em alta ao longo da maior parte do dia, a Bovespa encerrou os negócios desta terça-feira (27) em queda, com as preocupações sobre os riscos fiscais nos Estados Unidos ofuscando o otimismo inicial com o acordo para reduzir a dívida da Grécia e liberar nova parcela de resgate ao país.

O Ibovespa, principal índice do mercado acionário brasileiro, recuou 0,86%, a 56.248 pontos. Na segunda-feira, o Ibovespa recuou 1,45%, a 56.737 pontos.

O giro financeiro do pregão foi de R$ 5,62 bilhões ante média diária de cerca de R$ 7,2 bilhões em 2012.

Os papéis da Cesp lideraram as baixas do dia no Ibovespa, com desvalorização de 6,08%, em meio à questão da renovação antecipada e condicionada de concessões elétricas.

Na ponta oposta, as ações da B2W, dona dos sites Submarino e Shoptime, subiram 17,94% após analistas do Bank of America Merrill Lynch elevarem a recomendação e o preço-alvo para o papel.

A ação da controladora da B2W, as Lojas Americanas, subiu 4,23%.

As petrolíferas pesaram no Ibovespa, com OGX caindo 3,69% e a preferencial da Petrobras perdendo 1,65%. As companhias informaram na noite da véspera que a Petrobras vendeu participação de 40% na concessão BS-4, na bacia da Santos, para a petrolífera de Eike Batista, num negócio de US$ 270 milhões.

As ações preferenciais classe B da Eletrobras conseguiram registrar sua terceira sessão consecutiva de recuperação, com alta de 3,37%, enquanto a ordinária fechou em queda de 0,44%.

Cenário externo
Um acordo na Europa para reduzir a dívida grega e liberar mais recursos emergenciais ao país deu sustentação ao avanço do Ibovespa durante quase todo o pregão desta terça-feira – o índice chegou a marcar alta de 1,2% na máxima intradiária.

Mas o mercado virou na hora final do pregão, à medida em que investidores optaram por cautela diante do risco de um abismo fiscal nos EUA – cerca de US$ 600 bilhões em cortes de gastos e aumentos de impostos que podem entrar em vigor automaticamente em janeiro e jogar o país em recessão.

Bovespa ajustará em meia hora o pregão a partir de dezembro
A partir da próxima segunda-feira (3), a BM&FBovespa estenderá em meia-hora o horário do pregão regular de negociação de ações, segmento Bovespa. Dessa forma, o pregão passa a funcionar de 10 horas às 17h30. Atualmente, o pregão ocorre de 10h às 17h.

O After Market continuará a operar de 18h às 19h30, passando a ter sua pré-abertura de cinco minutos, das 18h as 18h05.

Para ler mais notícias do G1 Economia, clique em g1.globo.com/economia. Siga também o G1 Economia no Twitter e por RSS.

Mais Economina & Negócies em Domínio do Fato

Negócios

More in Negócios

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato