Negócios

Ações asiáticas fecham em alta após acordo sobre a Grécia

Ações asiáticas fecham em alta após acordo sobre a Grécia

As ações asiáticas avançaram pelo sétimo dia seguido nesta terça-feira (27), ao passo que os credores globais chegaram a um acordo sobre as novas metas de dívida para a Grécia e um acordo político sobre o desembolso da próxima parcela de ajuda ao país.

Após horas de negociações na terceira reunião em várias semanas, os credores internacionais da Grécia concordaram com um pacote de medidas para cortar a dívida grega para 124% do Produto Interno Bruto (PIB) até 2020, e prometeram tomar mais ações para diminuir o déficit abaixo de 110% do PIB em 2022.

O presidente do Eurogroup, Jean-Claude Juncker, disse que os ministros irão aprovar formalmente a liberação da crucial ajuda para a endividada Grécia, removendo incertezas sobre se Atenas pode evitar a bancarrota no curto prazo.

Às 7h47 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 0,6%, aproximando-se do maior nível em três semanas, liderado por um aumento de 0,87% nas ações sul-coreanas e de 0,74% no mercado australiano.

As ações de Xangai foram na contramão e perderam 1,30%, atingindo o menor nível desde 2009, puxadas por fraqueza em empresas sensíveis ao crescimento.

“Pairam sobre o mercado há um tempo essas preocupações macroeconômicas, portanto progresso para sair dessa situação dá espaço para o mercado subir”, afirmou o diretor do BestEx, Phillip Weinberg.

O índice Nikkei do Japão avançou 0,37%. O índice subiu mais de 8% em duas semanas, à medida que o iene enfraqueceu devido a expectativas de uma política monetária mais frouxa com a eleição provável de um novo governo.

O mercado teve ligeira queda de 0,08% em Hong Kong, enquanto a bolsa de Taiwan subiu 0,31% e Cingapura avançou 0,25%.

Para ler mais notícias do G1 Economia, clique em g1.globo.com/economia. Siga também o G1 Economia no Twitter e por RSS.

Mais Economina & Negócies em Domínio do Fato

Negócios

More in Negócios

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato