Brasil

Universitários traçam os entraves da pecuária de corte no Mato Grosso

Universitários traçam os entraves da pecuária de corte no Mato Grosso

DO PORTAL DO AGRONEG?CIO

Estudantes universitários de agronomia, veterinária e zootecnia de Mato Grosso enumeraram uma série de entraves e possíveis soluções para a pecuária de corte. O estudo “Diretrizes para o Desenvolvimento da Pecuária de Corte de Mato Grosso – Visão de Universitários e Pecuaristas” será entregue nos próximos dias aos governos federal e estadual e parlamentares com o objetivo que se faça uma revisão fiscal e se crie políticas que melhorem a infraestrutura logística e promova-se a capacitação dos trabalhadores, profissionais e pecuaristas.

O estudo foi promovido pela Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) em parceria com o campus de Sinop da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e dos campus da Universidade de Mato Grosso (Unemat) de Cáceres, Pontes e Lacerda,  Alta Floresta, Nova Xavantina e Tangará da Serra. O estudo foi realizado por meio de workshops com mais de 300 acadêmicos entre 25 de setembro e 23 de outubro.

Os temas levantados pelos acadêmicos, segundo o consultor técnico da Acrimat, Amado de Oliveira, foram cria, integração lavoura pecuária, confinamento, recuperação de pastagens degradadas e sustentabilidade socioeconômica e ambiental. “A função dos pecuaristas nestes workshops foi apenas de relatar como trabalhava em sua propriedade. Conseguimos um documento, em 59 dias, que retrata a pecuária de Mato Grosso e suas necessidades, que estaremos entregando aos governantes nos próximos dias para soluções. Em cada temática os alunos enumeraram uma série de entraves e soluções, que são de sua importância para nós,  como é o caso da baixa produtividade por hectare, baixa eficiência reprodutiva e logística”.

Oliveira comenta ainda que os problemas e soluções encontrados pelos alunos foram os mesmos apontados por analistas durante o “Encontro de Analistas da Scot Consultoria”, em São Paulo (SP), em 9 de novembro. “Isso mostra que os alunos estão em sintonia com a realidade”.

Segundo o superintendente da Acrimat, Luciano Vacari, a decisão da interação com as universidades e acadêmicos surgiu durante reunião de planejamento de 2012. “Não tínhamos este contato e até era uma falha nossa. Queremos repetir em 2013 e ampliar a participação de cursos e cidades”.

A professora Drª Zulema de Figueiredo, do campus Cáceres da Unemat, comenta que muitos alunos que  participaram são filhos de produtores. “Para eles é importante porque podem auxiliar no desenvolvimento das propriedades da família”.

Para a professora Drª Jocylaine Garcia, do campus Pontes e Lacerda da Unemat, “os alunos puderam ver de perto a realidade e quem nem tudo é aquele mar de rosas que se pensa. Viram que nem todas as propriedades são iguais”.

Ainda, de acordo com o consultor técnico da Acrimat, o aprendizado dos acadêmicos não ficará nas cidades visitadas apenas. “Percebemos que muitos são de outras cidades, então as soluções encontradas serão espalhadas pelo Estado”.

Notícias do Brasil em Domínio do Fato – Veja Mais Aqui!

Brasil

More in Brasil

Informação com independência editorial.

Copyright © 2016 Dominio do Fato